Sobre este filme

Segunda curta-metragem do realizador Hugo Pinto, um revenge film lançado em 2018. Esta «história de suspense com humor negro» foi realizada para o 48hours Lisbon Film Project, onde a protagonista, Cláudia Semedo, ganhou o prémio para melhor atriz, e foi posteriormente selecionada para o MOTELX de 2018.

O filme foi selecionado para o ShortCutz em Lisboa, Funchal, Figueira da Foz e Caldas da Rainha, e para o TMFF (The Monthly Film Festival), em Glasgow. Passou também pelo FARCUME — Festival Internacional de Curtas-Metragens de Faro e pelo Arouca International Film Festival.

O Independent Horror Movie Awards nomeou o Espelho Meu para Melhor Curta, Melhor Atriz (Cláudia Semedo), Melhor Edição (Hugo Pinto) e Melhor Fotografia (Nuno Assunção). No Bucharest ShortCut Cinefest, a curta foi nomeada nas categorias de Melhor Atriz (Cláudia Semedo) e Melhor Fotografia. No Short CineFest, ganhou o prémio de Melhor Fotografia.

Ficha técnica

Elenco: Cláudia Semedo, Catarina Lima, Rodrigo Soares

Produção: Rute Simões, Cátia Figueiredo e Cláudia Pinto

Argumento: Andreia Azevedo Moreira e Hugo Pinto

Diretor de Fotografia: Nuno Assunção

Colorista: Nuno Assunção

Captação Sonora: Carlos Martins

Sound Design: Miguel Saraiva

Banda Sonora: Gahnah

Montagem: Hugo Pinto

Realização: Hugo Pinto

Biografia

Hugo Pinto nasceu no dia 24 de abril de 1975. O seu sonho de vida sempre foi contar histórias através das imagens.

Realizador/editor de imagem desde que nasceu, conta estórias para ser feliz. Realizar tornou-se obrigatório e, lado a lado com o percurso televisivo, prepara mil guiões e infinitos filmes para dar seguimento às suas quatro curtas: TU, Espelho Meu, A Escritora e O Intruso. Quando filma um plano, sente-se completo. O seu plano de vida é filmar muitos…

Em 2022, submete as curtas A Escritora, Espelho Meu e O Intruso à plataforma independente VIDIVERSE, de Alex Proyas (realizador icónico norte-americano de filmes como O Corvo, Dark City, Knowing ou I, Robot).

As curtas são recebidas com entusiasmo e Hugo Pinto é convidado como autor a fazer parte do Universo do realizador. Destaca-se como o único realizador português a ser integrado nesta plataforma norte-americana.

 

«Espelho Meu»,

um filme de Hugo Pinto